Ternos Sujos

Mês passado estava num hotel me preparando para o início de uma turma do treinamento Lorde. Fiz aquecimento mental, físico, vocal e espiritual. Quando fui me arrumar percebi que o blazer de veludo estava um tanto esbranquiçado. Minha esposa havia me dado de presente havia dois anos. Usei bastante e ministrei inúmeras palestras, cursos e treinamentos com ele. Certamente o meu preferido entre vários que fui adquirindo durante os anos de trabalho. 

Então pensei que estava na hora de comprar um novo. Apesar de pouco tempo que tinha, corri para uma loja bem próxima e pedi ao vendedor pra me mostrar algumas peças. Fui muito bem atendido, o vendedor me chamou pelo nome, foi simpático e diante do desconto que consegui e pensando no tempo que não investia em uma boa vestimenta acabei por comprar três peças lindas e modernas, uma cinza, uma azul, e uma bege.
Fui ministrar aquela primeira aula com muito entusiasmo, como sempre e ainda mais feliz por estar de roupa nova (como é gostoso, hein pessoal), na ocasião o cinza. No final daquela noite eu estava ainda mais empolgado e já tinha adquirido um amor por cada aluno. Na saída abracei um por um e foi maravilhoso sentir o calor humano e o carinho de cada pessoa que estava ali se permitindo.
Na próxima noite, já havia o mesmo treinamento em outra cidade e usei outro blazer de outra cor, o azul. Nesta noite também era primeira aula e teve um aluno que se emocionou muito e saiu da sala para chorar por um sentimento que veio pra fora e há tempo estava trancado lá dentro, o prejudicando, por medo de tocá-lo, de entrar em contado novamente. Fui atrás do aluno e o abracei bem forte e deixei outro intrutor seguir ministrando.
Foi um momento de cura interior aquele choro e o longo abraço foi o compartilhamento de algo que nós dois estávamos precisando: amor, compreensão, carinho e empatia.
Logo voltamos parava sala restaurados e pudemos seguir no treinamento.
Ao chegar no hotel fui arrumar minhas roupas para viajar de volta pra casa e percebi que dois dos meus três blazer novos estavam sujos de maquiagem, choro e também estavam amassados.
Confesso que meu primeiro sentimento foi ficar chateado, pois havia usado apenas uma vez cada um e já teria que mandar pra lavanderia. Reclamei um tanto e em seguida parei pra pensar racionalmente. Quando a “ficha” caiu, chorei mais um pouco no quarto do hotel e Deus falou comigo. Me fez entender que os ternos sujos são uma das minhas maiores bênçãos. Eu realmente espero que todos os instrutores da Nobre Treinamentos entendam o valor disto, pois assim estaremos realmente fazendo algo que tem valor e não apenas preço.

Um forte e nobre abraço aos amigos e alunos!!!

Rodrigo R. Valentini
Nobre CEO